Cuiabá, 17 de setembro de 2019

Isso é Notícia

MENU

ESCAMBO NO TCE-MT

Blairo tentou fazer "permuta" de vagas para beneficiar ex-secretário, diz Riva

Erro na Linha: #12 :: Undefined variable: charge_title
/home/issoenoticia/public_html/themes/issoenoticia/inc/sharebox.php
RD NEWS RD NEWS

www.rdnews.com.br

O ex-presidente da Assembleia José Riva (sem partido) detalhou a entrada do ex-governador e ex-senador Blairo Maggi (PP) na negociação da suposta compra de uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE) com dinheiro desviado dos cofres públicos.

O caso é investigado na Operação Ararath, do Ministério Público Federal (MPF). Riva prestou reinterrogatório em ação conduzida pelo juiz Jeferson Schneider, da 5ª Vara da Justiça Federal em Mato Grosso, em 15 de março.

Em áudio da audiência, qual o teve acesso, Riva confirmou que Blairo teria interferido na negociação entre o então conselheiro do TCE Alencar Soares e o ex-deputado, e interessado na vaga, Sérgio Ricardo. O objetivo do ex-governador seria garantir a indicação do ex-secretário Eder Moraes e o recuo de Sérgio.

A vaga inicialmente custaria R$ 12 milhões, pela negociação entre Alencar e Sérgio, que teria repassado R$ 2,5 milhões no início do acordo, em 2009, e teria o compromisso de passar mais R$ 1,5 milhão na mesma época em que Riva diz que Blairo "entrou no negócio".

A interferência teria tido início em uma viagem à África do Sul em que Maggi, Riva e Eder, entre outros, teriam se reunido para discutir o assunto. Depois da reunião, houveram tratativas para emplacar Eder no TCE.

“O conselheiro Alencar expõe a situação dele para mim, porque até aquele momento eu não havia participado, de que ele já tinha recebido do Sérgio R$ 2,5 milhões e que havia o compromisso dele passar mais R$ 1,5 milhão. Aí o governador Blairo Maggi assume o compromisso com ele (Alencar) de que iria devolver (esses R$ 2,5 milhões) e também que iria arrumar esse R$ 1,5 milhão que já tinha compromisso dele com o Sérgio”, disse Riva no depoimento.

A devolução dos valores a Sérgio teria sido mediada pelo empresário e dono factorings Júnior Mendonça, delator da Ararath. Riva cita uma conversa com o hoje conselheiro afastado - que estaria “muito transtornado” por ter recebido um cheque de R$ 2,5 milhões de Júnior Mendonça, sem saber como faria para descontar o valor. O resultado desta etapa da negociação é que Alencar permaneceu no cargo de conselheiro.

“E nesse ínterim, começa uma conversa do governador Blairo Maggi no sentido de acertar a vaga para o Eder. Eu sou chamado para uma reunião, não lembro bem quem eram os personagens da reunião, mas com certeza eu e o Blairo, onde o Blairo coloca se é possível a vaga para Eder. Eu falo: olha, eu acho muito difícil porque mesmo que o Sérgio não queira ir, existem outros deputados que pretendem ir. E acho muito difícil a Assembleia aceitar essa vaga da Assembleia passar para o governo. A não ser que houvesse uma permuta”

Blairo teria pedido tempo para articular a possível troca. Ao garantir Eder na vaga prevista para a Assembleia, o então governador se comprometeria a indicar um deputado quando fosse à cadeira destinada ao governo.

O então governador pede um tempo para fazer essa articulação. "Mais alguns dias, eu sou chamado e ele fala: Ó, pode avisar o Sérgio Ricardo para voltar a conversar com o Alencar porque eu vi que não tem jeito. Só queria um compromisso de você, de a gente levar dois de uma vez. Levar o conselheiro Sérgio e levar o Eder. E aí nós vamos tentar ver uma vaga desses que estão em uma vaga do Estado", lembra Riva.

“Eu convenci ele de que não adiantava. Mesmo que o Sérgio Ricardo não fosse, iria outro deputado”

José Riva

Ainda em depoimento, o ex-presidente da AL, diz que Blairo não conseguiu essa vaga. "Disse: nem precisa vir aqui, é só pra te dizer que é pra falar para o Sérgio tocar o projeto dele porque não teve condições de liberar uma vaga para o Eder. Nesse momento, o Sérgio fala pra mim, agora eu aceito participar, desde que você acompanhe essa conversa. Aí pra frente eu participei”, declarou Riva à Justiça.

A procuradora do MPF Vanessa Christina Marconi Zago pergunta mais à frente na audiência se havia algum tipo de disputa ou rusga política para que Blairo preferisse a entrada de Eder no TCE, ao invés de Sérgio Ricardo. O ex-presidente da Assembleia nega e lembra que outros deputados à época tinham interesse na vaga.

“O Blairo dizia que não, que apenas ele queria a vaga para o Eder. Até ele propõe em um determinado momento fazer uma troca. Eu sei que já fez isso na Assembleia, essa vaga da Assembleia vai um do Estado agora, depois na do Estado manda um da Assembleia. Eu falei, Blairo não adianta. O Sérgio quer ir e se ele não fosse tinha o Zé Domingos, o Sebastião Rezende, o Roberto França, que queria ir, tinha um monte de deputado. Eu convenci ele de que não adiantava. Mesmo que o Sérgio Ricardo não fosse, iria outro deputado”, avaliou.

Procurado pelo , o ex-governador e ex-senador ainda não se pronunciou.

Leia matérias relacionadas:

Comente pelo Facebook!

Comente pelo site!

Olá, deixe seu comentário para

Enviando Comentário Fechar :/