Cuiabá, 22 de outubro de 2019

Isso é Notícia

MENU

EGITO

Exército derruba presidente Morsi e promete transição de poder

Erro na Linha: #12 :: Undefined variable: charge_title
/home/issoenoticia/public_html/themes/issoenoticia/inc/sharebox.php
ALEXANDRE APRÁ ALEXANDRE APRÁ

Jornalista, diretor do Isso É Notícia

 















AP



General Abdel-Fattah el-Sissi faz um pronunciamento à população na televisão estatal egípcia nesta quarta-feira (3)



O chefe do exército do Egito, general Abdel Fatah al Sisi, anunciou nesta quarta-feira (3) a saída do presidente do Egito, Mohamed Morsi, por ele "não ter cumprido as expectativas" do povo. Acompanhe cobertura em tempo real.

O general declarou que a Constituição e/stá suspensa temporariamente, durante um período de transição, no qual o governo será exercido por um grupo de tecnocratas.

 


A presidência está em mãos do presidente da Corte Constitucional.


Nesse período, a Constituição vai ser revista, com vistas à convocação de novas eleições parlamentares e presidenciais.


O general afirmou que as forças de segurança iriam garantir a paz nas ruas das principais cidades do país, que estavam tomadas por manifestantes oposicionistas e também por partidários do islamita Morsi.


A notícia foi recebida com fogos de artifício na Praça Tahrir, no Cairo, palco da revolta popular que derrubou o ditador Hosni Mubarak em 2011.



Falando depois do general, um porta-voz do Exército afirmou que ainda não há um cronograma para a transição.


O anúncio foi saudado pelo oposicionista Mohamed ElBaradei, que disse que a revolução de 2011 foi "relançada" no país e pediu eleições presidenciais rápidas.


Já Morsi afirmou que se tratou de um "golpe militar completo" e pediu que seus partidários resistam pacificamente.


Fontes de segurança afirmaram que Morsi e os principais líderes da Irmandade Muçulmana, organização islâmica a que ele pertence, estariam proibidos de deixar o país.


Além de Morsi, seriam barrados o líder da Irmandade Muçulmana, Mohamed Badie, e o número dois da confraria, Jairat al Shater.

















Mohamed Abd El Ghany/Reuters



Manifestantes reunidos neste domingo (30) na praça Tahrir, no Cairo, pedem a renúncia do presidente do Egito, Mohamed Morsi



'Governo de coalizão e consenso'


'Governo de coalizão e consenso'

 


Pouco antes do fim do ultimato, Morsi apelou, pelo Twitter, à formação de um "governo de coalizão e de consenso" no país em crise.


A oposição exigia que o islamita Morsi – eleito em 2012 após a revolta que levou à renúncia de Hosni Mubarak em 2011 – deixe a presidência.



Mortes



Em meio à crise política, confrontos entre apoiadores do presidente, oposicionistas e forças de segurança deixaram 16 mortos e mais de 200 feridos entre terça e quarta, segundo as agências Reuters e AFP, que citam a TV local e o Ministério da Saúde.
Os confrontos se acirraram após um pronunciamento do presidente reiterando sua legitimidade, sob o argumento de foi eleito democraticamente.

Leia matérias relacionadas:

Comente pelo Facebook!

Comente pelo site!

Olá, deixe seu comentário para

Enviando Comentário Fechar :/