Cuiabá, 22 de fevereiro de 2019

Isso é Notícia

MENU

MEMÓRIAS DE MATO GROSSO

Há 139 anos, morria em Cuiabá Augusto Leverger, o Barão de Melgaço

Erro na Linha: #10 :: Undefined variable: charge_title
/home/issoenoticia/public_html/themes/issoenoticia/inc/sharebox.php
DA REDAÇÃO DA REDAÇÃO

www.issoenoticia.com.br

Morre em Cuiabá, em 14 de janeiro de 1880, Augusto Leverger, o barão de Melgaço. Nascido na França em 1804, Leverger chegou a Mato Grosso, como capitão-tenente em 1830, para transformar-se numa das figuras de maior relevo na história do Estado, por sua projeção política durante o império.

Marinheiro aos 16 anos de idade, em 1820 embarcou na escuna francesa Angélica, na condição de segundo comandante, com destino ao Uruguai, onde dedicou-se ao estudo do estuário Prata.

Em Cuiabá organizou o departamento do Trem Naval, embrião do arsenal da Marinha. Em 1814 foi nomeado pelo governo imperial português consul-geral do Brasil na república do Paraguai. Em 1842 é promovido a capitão de fragata e em 1852 a capitão de mar e guerra. Em 1857encerra voluntariamente sua carreira militar.

Na política, sem nunca haver disputado nenhum cargo, foi várias vezes distinguido com a tarefa de governar Mato Grosso:

Na suprema direção da província, adotara como norma de conduta a mais severa economia e inteira distribuição da justiça, não distinguindo correligionários e fazendo-se respeitado no conceito unânime dos adversários.

Embora filiado ao partido conservador, exerceu também a presidência em situação liberal, tanta e tão justificada era a confiança que inspirava a todos.

Comandante de armas e presidente da província por várias vezes, Melgaço está no rol dos vultos mais homenageados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Em Mato Grosso há duas cidades com seu nome, Barão de Melgaço e Santo Antônio de Leverger.

Em Mato Grosso do Sul, há uma rua com seu nome em praticamente todas as cidades, emancipadas antes da divisão. Nioaque, por vários anos depois da guerra do Paraguai, chegou a ser chamada oficialmente de Levergeria, em sua homenagem.

 

FONTE: Estevão de Mendonça, Datas Matogrossenses, (2a. edição) Governo de Mato Grosso, Cuiabá, 1973, página 40

Leia matérias relacionadas:

Comente pelo Facebook!

Comente pelo site!

Olá, deixe seu comentário para

Enviando Comentário Fechar :/