Cuiabá, 16 de novembro de 2019

Isso é Notícia

MENU

ROMBO DE R$ 1,3 BILHÃO

Mauro Mendes faz estudo e avalia apresentar reforma da Previdência

Erro na Linha: #12 :: Undefined variable: charge_title
/home/issoenoticia/public_html/themes/issoenoticia/inc/sharebox.php
Victor Ostetti/MidiaNews
MIDIANEWS MIDIANEWS

www.midianews.com.br

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que aguarda o resultado de um estudo que está sendo elaborado pelo Executivo há alguns meses para saber se encaminha à Assembleia Legislativa um projeto de reforma da Previdência de Mato Grosso.

O assunto, considerado extremamente espinhoso, é uma das grandes preocupações do Governo, já que, a cada ano, a Previdência no Estado registra um déficit de cerca de R$ 1,3 bilhão.

Nesta semana, inclusive, o presidente da Assembleia Eduardo Botelho (DEM) cobrou que Mendes encaminhe o projeto aos parlamentares ao invés de aguardar uma definição por parte do Congresso Nacional.
 
Isto porque a reforma aprovada em âmbito nacional não incluiu a Previdência de estados e municípios. O Senado articula uma Proposta de Emenda à Constituição, a chamada PEC Paralela, para fazer tal inclusão. A proposta, no entanto, divide opiniões entre os senadores.

“Eu vi com muito bons olhos a declaração do presidente da Assembleia. Isso mostra a preocupação e a compreensão que ele tem da gravidade que é esse problema. Vamos falar agora do Estado de Mato Grosso. Para vocês terem uma ideia, por mês, entre aquilo que arrecada a Previdência de Mato Grosso, e aquilo que nós gastamos para pagar os aposentados e pensionistas, faltam R$ 115 milhões”, disse Mendes.

“Existem estudos que estão sendo feitos dentro do governo e eles devem chegar às minhas mãos nos próximos dias. E aí nós vamos decidir se vamos ficar aguardando o Congresso Nacional ou se nós iremos apresentar para um debate independente das decisões a serem tomadas em Brasília”, acrescentou o governador.

Bola de neve

Ao tratar do assunto, o governador ainda lembrou que, a cada mês, entre 200 e 300 servidores se aposentam no Estado de Mato Grosso.

As projeções, segundo ele, mostram que já a partir de 2022, Mato Grosso terá mais servidores inativos do que trabalhando.

“E eles vão continuar recebendo. E quem paga essa conta não é o Estado, quem paga é o cidadão, o contribuinte que vive no Estado. Todo mês eu tenho que usar dinheiro dos impostos, do ICMS da energia elétrica, para bancar o déficit mensal”, alertou Mendes.

“Então, se não tivermos responsabilidade e mudar essa realidade, cada dia mais todos vocês aqui, todo cidadão em Mato Grosso terá que trabalhar mais, pagar mais imposto, para que a gente possa pagar os aposentados e pensionistas. É uma dura equação que tem que ser enfrentada com responsabilidade, com debate sério e honesto. O problema existe e vai piorar se não fizermos nada”, concluiu o governador.

Leia matérias relacionadas:

Comente pelo Facebook!

Comente pelo site!

Olá, deixe seu comentário para

Enviando Comentário Fechar :/