Cuiabá, 22 de outubro de 2019

Isso é Notícia

MENU

MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS

MP de Contas quer a suspensão do plano de demissão voluntária da MTI

Erro na Linha: #12 :: Undefined variable: charge_title
/home/issoenoticia/public_html/themes/issoenoticia/inc/sharebox.php
DA REDAÇÃO DA REDAÇÃO

www.issoenoticia.com.br

O Ministério Público de Contas apresentou um Recurso Ordinário com pedido de Cautelar Liminar, no último dia 17 de junho, e requereu ao TCE a suspensão do Plano de Demissão Voluntária – PDV da Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação – MTI. O processo trata-se do levantamento de conformidade proposto pela Secretaria de Controle Externo de Ato Pessoal, com o objetivo de apurar a legalidade e conhecer os critérios do processo de desligamento dos empregados públicos.

 Para o MP de Contas, o plano de demissão voluntária – PDV da MTI é evidentemente desvantajoso à administração pública e à sociedade. “Permitir a aprovação de Plano de Demissão Voluntária sem estudo que o embase, seria tal como ser emitido ato administrativo sem motivação, ser aberta licitação sem termo de referência, iniciar obra sem projeto básico, ou seja, é uma ilegalidade grave.” 

 O processo apontou também os riscos que poderiam acarretar caso a decisão for mantida, mais interessados ingressariam ao PDV antieconômico e/ou ilegal, risco ao resultado útil do processo caso essa adesão ocorra e risco de que sejam ajuizadas ações judiciais.

 Na sessão plenária do dia 21 de maio, o Pleno do TCE/MT decidiu em manter o plano de demissão voluntária – PDV, dando provimento ao recurso de agravo, proposto pela MTI. O recurso, contestava o julgamento singular que concedia a medida cautelar com a finalidade de suspender o processo de desligamento.

 O MP de Contas divergiu da decisão e apontou alguns itens que não foram observados como, invalidade do comparativo entre gasto com PDV e gasto com manutenção dos empregados, irrazoabilidade dos valores indenizatórios e inconstitucionalidade do critério etário. 

 O Ministério Público de Contas em seu recurso ordinário solicitou o seu conhecimento e cautelarmente a reformulação da decisão, a fim de homologar a medida cautelar anterior que havia determinado ao Sr. Kléber dos Santos, Diretor-Presidente da MTI, a suspensão dos processos de desligamento decorrentes do plano de demissão voluntária -  PDV até a análise de mérito acerca da sua economicidade.

 O processo será julgado pelo Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso, que decidirá se acolhe o recurso do MPC-MT. O julgamento será transmitido ao vivo pelo site do TCE-MT www.tce.mt.gov.br. 

Leia matérias relacionadas:

Comente pelo Facebook!

Comente pelo site!

Olá, deixe seu comentário para

Enviando Comentário Fechar :/