Cuiabá, 22 de outubro de 2019

Isso é Notícia

MENU

JORNADA QUÁDRUPLA

MP investiga médico do Santa Rosa, lotado na Saúde de VG e que atua como perito do INSS

Erro na Linha: #12 :: Undefined variable: charge_title
/home/issoenoticia/public_html/themes/issoenoticia/inc/sharebox.php
Reprodução/YouTube

Médico Salvino Teodoro Ribeiro foi candidato a presidente da Unimed Cuiabá neste ano

ALEXANDRE APRÁ ALEXANDRE APRÁ

Jornalista, diretor do Isso É Notícia

O Ministério Público Estadual em Várzea Grande está investigando um médico que supostamente teria uma jornada quádrupla de função.

Segundo inquérito instaurado no último dia 5 de julho, pela promotora Audrey Thomaz Ility, o médico Salvino Teodoro Ribeiro estaria lotado na Secretaria Municipal de Saúde de VG, mas também exerceria o cargo de perito do INSS e também estaria nos quadro do Hospital Santa Rosa, em Cuiabá.

Ele também teria um consultório médico no Hospital Santa Rosa Tower, em Cuiabá.

Salvino também já foi membro da diretoria da Unimed, em Cuiabá, e ocupou um cargo no órgão denominado "comissão técnica". Ele também foi candidato a presidente da Unimed Cuiabá em fevereiro deste ano.

 

Hospital Santa Rosa não provou ao MP jornada de trabalho de médico

Hospital Santa Rosa não provou ao MP jornada de trabalho de médico

"(...) conclui-se que, em tese, somadas estas atividades privadas às funções públicas, desenvolva uma jornada exaustiva de trabalho, o que pode levar o profissional a não gozar de boas condições físicas e mentais para bem exercer suas funções; em evidente afronta ao princípio constitucional da eficiência, dentre outros", pontuou a promotora.

Em investigação preliminar, a Unimed e o Hospital Santa Rosa confirmaram que o médico fez parte de seus quadros, mas, não provou de maneira concreta a carga horária exercida e pelo médico.

Já a Prefeitura de VG informou ao MP que não possui a folha de ponto do médico. O INSS, por sua vez, informou que a folha de frequência do médico está "zerada".

Por isso, a promotora decidiu abrir o inquérito para apurar suposta improbidade administrativa pelos órgãos que o empregam e pelo profissional.

O MP também mandou notificar o médico para que apresente, em até 30 dias, os documentos que achar pertinente. Os órgãos públicos, o Hospital Santa Rosa e a Unimed também foram notificados para que apresentem a comprovação de trabalho regular do profissional.

Caso o MP comprove irregularidades nas contratações públicas, pode propor ação civil pública pedindo ressarcimento de valores, perda dos direitos políticos, impossibilidade de contratação com o poder público e outras sanções.

CLIQUE AQUI para ler a instauração do inqúerito

Leia matérias relacionadas:

Comente pelo Facebook!

Comente pelo site!

Olá, deixe seu comentário para

Enviando Comentário Fechar :/