Quinta, 25 de Fevereiro de 2021 11:54
65 99222-1842
POLÍTICA ENTREVISTA

Congresso e Supremo colocaram limites ao governo Bolsonaro, diz Maia

Maia se defendeu das cobranças por não ter aberto um dos pedidos de impeachment contra o governo enquanto presidia a Casa

23/02/2021 12h28 Atualizada há 2 dias
Por: Redação 2 Fonte: UOL
Congresso e Supremo colocaram limites ao governo Bolsonaro, diz Maia

"Acho que o Congresso e o Supremo colocaram limites desde o início ao governo. Não acho que uma frase do presidente da Câmara, do Senado, dos principais líderes contestando o governo seja uma coisa pequena. Todo mundo critica, mas não acho que é uma coisa pequena você impor limites: dentro desse limite aqui não vai passar - e não passou". Rodrigo Maia (DEM-RJ), ex-presidente da Câmara.

Maia citou como exemplo as pautas "de costume", como as relacionadas às armas de fogo, que já começaram a avançar sob o comando de Arthur Lira (PP-AL), e garimpo em terras indígenas. "Todas essas agendas de costume da qual nós inviabilizamos todas e fortalecemos a agenda da economia, da educação e da saúde durante a pandemia. Não acho que a Câmara e o Senado tenham trabalhado apenas com notas [de repúdio]", ponderou o ex-presidente.

"Nós criamos a CPI mista [Comissão Parlamentar de Inquérito] das fake news, depois o presidente do [STF] Dias Tofolli abriu o inquérito com a relatoria do Alexandre de Moraes, ministro do [STF] que tem sido importante. Então, acho que a Câmara, o Senado e o supremo colchoaram limites importantes ao governo do presidente Bolsonaro".

Agora crítico de Bolsonaro, Maia se defendeu das cobranças por não ter aberto um dos pedidos de impeachment contra o governo enquanto presidia a Casa. Segundo ele, a derrota do seu grupo nas eleições de fevereiro para Arthur Lira, candidato do governo, provaram que o processo não iria para frente.

"Ia tirar da pauta a pandemia e ia colocar na pauta o impeachment, do qual ele iria sair vitorioso nesse primeiro momento", declarou Maia.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias