Terça, 13 de Abril de 2021 00:36
65 99222-1842
JURÍDICAS VEJA O HOLERITE

Desembargador que fechou comércio noturno de Cuiabá recebeu R$ 330 mil no contracheque de dezembro

Dados do Portal Transparência do Tribunal de Justiça de Mato Grosso mostram pagamentos vultosos a Orlando Perri

04/03/2021 08h15 Atualizada há 1 mês
Por: Alexandre Aprá
Governador Mauro Mendes (DEM) e desembargador Orlando Perri, do TJMT
Governador Mauro Mendes (DEM) e desembargador Orlando Perri, do TJMT

O desembargador Orlando de Almeida Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que determinou a aplicação do decreto do governador Mauro Mendes (DEM) instaurando o "mini-lockdown" em Cuiabá, registrou recebimentos brutos de R$ 330.171,37 na folha de pagamento de dezembro de 2020, entre remuneração, vantagens pessoais e eventuais, e indenizações.

É o que revela dados da Folha de Pagamento do TJMT disponível no Portal Transparência.

Subtraídos os descontos, Perri recebeu em dezembro a bolada líquida de R$ 296.745,48 dos cofres do Poder Judiciário Estadual.

Já em fevereiro, o salário líquido do desembargador foi bem menor: R$ 54.860,58, segundo as folhas de pagamento corrente e suplementar do referido mês.

Além do salário superior a R$ 35 mil, os desembargadores de Mato Grosso recebem inúmeras vantagens indenizatórias como auxílio alimentação, auxílio moradia, plano de saúde com ampla cobertura, motorista, assessores e etc.

Penduricalhos na mira do CNJ

Em janeiro deste ano, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu investigar os pagamentos vultosos a desembargadores de Mato Grosso em dezembro passado, após uma reportagem veiculada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Os valores médios recebidos pelos desembargadores naquele mês foi de R$ 262 mil.

Após a publicação da reportagem do Estadão, o CNJ informou que o pagamento de verbas remuneratórias ou indenizatórias nos tribunais depende de autorização prévia do próprio conselho, como determina a Recomendação n. 31/2018 e o Provimento 64/2018.

Segundo o colegiado, "não foi submetida, apreciada ou deferida autorização formulada pelo TJ-MT ao CNJ nos meses que antecederam a folha de dezembro".

Confira os dois holerites (folhas da pagamento corrente e complementar) do des. Orlando Perri de dezembro de 2020:

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.