Segunda, 12 de Abril de 2021 18:06
65 99222-1842
CURTO E GROSSO MEDIDAS RESTRITIVAS

“Não concordo com lockdown, mas fiscalização precisa ser dura”

Vereadora por Cuiabá diz que situação econômica é grave e é contra fechamento do comércio

30/03/2021 13h01
Por: Redação 2 Fonte: REDAÇÃO MÍDIA NEWS
“Não concordo com lockdown, mas fiscalização precisa ser dura”

A vereadora Michelly Alencar (DEM) defendeu, nesta segunda-feira (29), a necessidade de adoção de medidas mais duras de restrição em Cuiabá, a fim de tentar frear os altos números de contaminação e mortes por Covid-19.

A parlamentar, no entanto, se disse contrária ao chamado lockdown, segundo ela, pelo possível impacto negativo na economia das cidades.

Michelly disse ser necessário que os gestores busquem formas mais firmes de fiscalizar e multar àqueles que insistem em desrespeitar as medidas de biossegurança.

“Eu não concordo com o lockdown, com o fechamento total do comércio e serviços. A situação econômica já está muito grave. Mas defendo uma fiscalização dura e aplicação de multas para quem descumprir as regras”, afirmou.

“Muitas pessoas não estão respeitando as medidas restritivas, por isso a necessidade de intensificar as fiscalizações. Alguns, infelizmente, não estão levando em consideração a saúde, mas se mobilizam quando sentem o aperto no bolso, por isso a aplicação de multas é importante”, acrescentou.

Ela, entretanto, elogiou as medidas anunciadas pelo governador Mauro Mendes (DEM) na semana passada para conter a pandemia, estendendo a vigência de regras como o toque de recolher às 21h, proibição de atividades econômicas das 20h às 5h e veto ao consumo de bebidas alcoólicas nos locais de venda.

“O governador Mauro Mendes está tendo coragem de tomar medidas sábias pelo bem de toda população. As restrições impostas são muito importantes neste momento”, disse.

No mesmo decreto, Mendes deixou nas mãos dos prefeitos municipais recomendações de ações mais duras que devem ser anunciadas por eles de acordo com a classificação de risco de contaminação das respectivas cidades.

Quando a cidade está classificada em risco alto, como é o caso de Cuiabá, é recomendada, entre outras medidas, a quarentena obrigatória por 10 dias. 

Para Michelly, não é possível “fechar os olhos” para a situação.

“Cuiabá está entre as cidades com maior mortalidade por Covid, estamos passando pelo pior momento da pandemia até agora, não dá para fechar os olhos para isso”, completou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.