Sábado, 08 de Maio de 2021 10:09
65 99222-1842
COTIDIANO VACINAÇÃO EM MASSA

Cidade zera busca por UTI com quase 100% da população vacinada

As autoridades de saúde do local não querem se precipitar, mas especulam que esses fatores já podem ser os primeiros sinais da ação de vacinação em massa

10/04/2021 12h14
Por: Redação 2 Fonte: METRÓPOLES
Cidade zera busca por UTI com quase 100% da população vacinada

Há 10 dias, nenhum habitante de Serrana (SP) precisa entrar na fila em busca de vaga para leito de tratamento intensivo (UTI) no estado de São Paulo. Desde o último fim de semana, não há registro de necessidade de intubação.

As autoridades de saúde do local não querem se precipitar, mas especulam que esses fatores já podem ser os primeiros sinais da ação de vacinação em massa que ocorre na cidade.

O município de Serrana foi escolhido para ser estudado pelo Projeto S, promovido pelo Instituto Butantan, que testa a efetividade da vacinação na “vida real”, isto é, sem os controles de uma pesquisa acadêmica.

Os dados de internação na cidade foram informados ao Metrópoles por Glenda Renata de Moraes, chefe da Vigilância Epidemiológica de Serrana.

“Em março, a nossa Unidade de Pronto Atendimento (UPA) chegou a fazer uma média de 60 atendimentos de pessoas com Covid ou com suspeita da doença. Na sexta-feira (9/4), a média caiu para 20 atendimentos”, declara a chefe de Vigilância Epidemiológica.

“Além disso, não registramos intubação de moradores de Serrana nem na UPA nem na Santa Casa. Também zeramos a fila no Cross [sistema paulista que controla vagas de internação em leitos de UTI e enfermaria]. Há 10 dias não buscamos leitos de UTI para pacientes com Covid grave”, completa Glenda Renata.

A gestora alerta que moradores da cidade ainda precisam de leitos de UTI, mas para outras enfermidades, como doenças cardíacas ou cerebrais, sem conexão com infecção por coronavírus.

Cidade viveu segunda onda

Março foi um mês dramático para Serrana, assim como para o resto do Brasil. Naquele momento, a cidade também viu alta repentina nos diagnósticos de Covid, nas internações e nos óbitos. Foram 19 mortes confirmadas.

De acordo com Gustavo Jardim Volpe, diretor de Atenção à Saúde do Hospital Estadual de Serrana, e também pesquisador do Projeto S, os óbitos registrados em março foram de pessoas que ainda não haviam sido vacinadas, e algumas delas já estavam internadas desde fevereiro.

“É importante esclarecer esses números porque estão surgindo distorções absurdas dessa informação. Das 19 pessoas que faleceram em março, duas ou três tomaram apenas a primeira dose da vacina e não tiveram, infelizmente, tempo de desenvolver a imunidade. Notamos ainda que eram pessoas que estavam internadas desde fevereiro”, diz Volpe, médico do Hospital de Serrana.

“A vacina só surte efeito após, em média, duas semanas da aplicação da segunda dose. É o tempo que demora para que o organismo reaja à vacina e produza os anticorpos que nos protegem da Covid grave”, completa.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.