Quinta, 13 de Maio de 2021 07:56
65 99222-1842
POLÍTICA SPUTNIK V BARRADA

Janaina critica decisão da Anvisa e vê burocracia: “60 países usam”

Agência apontou pontos críticos para rejeição dos pedidos de aval à importação da Sputnik V

04/05/2021 14h40 Atualizada há 1 semana
Por: Redação 2 Fonte: REDAÇÃO MÍDIA NEWS
Janaina critica decisão da Anvisa e vê burocracia: “60 países usam”

A deputada estadual Janaina Riva (MDB) criticou a decisão da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em vetar a importação da vacina russa Sputnik V para o Brasil.

A agência negou, no último dia 26 de abril, os pedidos dos Estados que fazem parte do Consórcio de Amazônia Legal e do Nordeste para liberação do imunizante. Os governadores assinaram um contrato de intenção de compra da Spunitk V. Apenas para Mato Grosso, seriam destinadas 2,4 milhões de doses.

Janaina citou a burocracia do País e disse que na pandemia da Covid-19 o cenário deveria ser outro.

“Seria uma opção ao nosso Estado. Entendo essa questão da documentação, mas acho que deveria ter uma consciência maior. Se já está sendo utilizado em 60 países, não apresentou efeito colateral, não tem contraindicação, não vejo o porquê do Brasil não aplicar”, disse.

“É uma vacina com mais de 90% de eficácia. A Coronavac tem eficiência menor. Então, a burocracia ainda emperra as coisas neste país. Não deveria ser assim neste momento. Não temos que ficar escolhendo muito. É preocupante”, acrescentou.

Janaina lembrou o fato de o Governo do Estado prever até mesmo a vacinação de pessoas com até 30 anos em quatro meses com a vinda do imunizante.

Para ela, a medida aceleraria a vacinação no País. Atualmente, 11,98% da população já foi vacinada com ao menos a primeira dose

“Não cabe a nós questionar essa questão da ciência, porque eles são os especialistas, mas não consigo entender como uma vacina que já está sendo utilizada em 61 países não pode ser utilizada no Brasil”, afirmou.

“O laboratório russo disse que quem tem que ter pressa é o Brasil, porque eles já tem milhares de países solicitando. Para nós mato-grossenses seria uma grande saída. Teríamos um terço da população vacinada de maneira direta e rápida”, completou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.