Terça, 22 de Junho de 2021 02:58
65 98157-3554
Dólar comercial R$ 5,02 -0.91%
Euro R$ 5,99 -0.48%
Peso Argentino R$ 0,05 -0.4%
Bitcoin R$ 174.833,74 +2.017%
Bovespa 129.264,96 pontos +0.67%
ECONOMIA DADOS DA ABRASEL

Nove mil bares e restaurantes foram fechados em MT durante a pandemia

O número de estabelecimentos fechados corresponde a 24% do setor

10/06/2021 14h21 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação 3 Fonte: G1
Nove mil bares e restaurantes foram fechados em MT durante a pandemia

Em Mato Grosso, 9 mil estabelecimentos no setor de bares e restaurantes foram fechados no último ano, durante a pandemia da Covid-19, o que corresponde a 24% de perda no setor. Os dados são da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) do estado.

De acordo com os dados, em 2019, eram 37 mil estabelecimentos em funcionamento e em 2021, 28 mil continuam abertos, o que representa uma redução de 24%. A associação estima pelo menos 20 mil pessoas desempregadas com o fechamento destes estabelecimentos.

A presidente da Abrasel, Lorena Bezerra, explica que o fechamento começou com o início da pandemia da Covid-19 e que apesar de muitos terem migrado para as entregas, uma grande parte não conseguiu se manter no mercado.

 

"Poucos conseguiram trabalhar com o delivery. No interior do estado, por exemplo, não há essa cultura de delivery, o que já dificulta. Além disso, os aplicativos de entrega cobram uma taxa de até 27% do restaurante em cima do preço do produto", relata.

 

Além disso, ela explica que os fornecedores, entregadores e outros profissionais que faziam parte desse mercado e vendiam para esses bares e restaurantes também saíram prejudicados com a redução drástica nas vendas.

Por causa disso, Lorena afirma que o setor foi muito prejudicado.

 

 

"Os pequenos estabelecimentos são os que mais sofreram e acabaram fechando as portas, principalmente aqueles que funcionavam no período noturno", afirma.

 

A presidente da Abrasel estima que o setor precisará de, pelo menos, dois anos para se reerguer.

"A retomada é lenta, há muitas dívidas acumuladas. Estimamos dois anos para recuperação caso a pandemia não piore e os estabelecimentos não tenham que suspender o funcionamento novamente", diz.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.