Terça, 22 de Junho de 2021 03:04
65 98157-3554
POLÍTICA OPERAÇÃO DA DECCOR

Emanuel: Coisas estranhas acontecem quando Cuiabá tem boas notícias

Prefeito diz que tem indícios de que alguns integrantes da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção estão tentando "atrapalhar" sua gestão

10/06/2021 15h11 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação 3 Fonte: REPÓRTER MT
Emanuel: Coisas estranhas acontecem quando Cuiabá tem boas notícias

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que tem indícios de que algumas ações da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) têm como objetivo de ‘ofuscar’ notícias positivas de sua gestão na Capital. A declaração é uma resposta à operação da Deccor e do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) nesta quinta-feira (10).

“Toda hora que a Prefeitura de Cuiabá vem com grandes notícias para a cidade, acontecem fatos estranhos, mas se for de conduta de servidor, algo que venha desabonar a gestão [a investigação] tem todo meu apoio, tem toda minha colaboração. Minha determinação é ser colaborativo em todas as ações de investigação e transparência”, disse.

A declaração foi dada na manhã desta quinta-feira (10). A ação da Polícia Civil, em conjunto com o Gaeco, ocorre logo após o prefeito anunciar que o Ministério da Saúde anunciar pode mandar 290 mil doses extras de vacinas contra covid em troca da realização da Copa América na Capital mato-grossense.

O gestor esteve reunido com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para tratar do assunto na última quarta-feira (9).

“Eu não quero dizer que é isso porque eu não tenho provas, não tenho elementos. O que eu posso afirmar é que toda vez que tem boas notícias, que vem essas conquistas maiores da gestão, acontece algo que parece que quer atrapalhar, estragar, jogar a população contra o prefeito”, disse.

OPERAÇÃO OVERPRICED

A segunda fase da operação foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (10) pela Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) e pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). Segundo as investigações, foram detectadas irregularidades como compra de medicamentos com sobrepreço, aquisições em excesso, além de dispensa de licitação para compra de medicamentos que não são usados no combate à covid.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.