Segunda, 02 de Agosto de 2021 03:05
65 98157-3554
COTIDIANO FAZENDA PROMISSÃO

Fazendeiro denuncia que afiliada da Record em MT pediu R$ 500 mil para não divulgar chacina

Declarações de fazendeiro foram feitas à Polícia Civil em inquérito que investiga execuções em fazenda de Sinop

17/06/2021 09h14 Atualizada há 1 mês
Por: Alexandre Aprá
Antiga gestão da TV Real, afiliada da Record em Sinop-MT, é acusada de cobrar para não divulgar chacina
Antiga gestão da TV Real, afiliada da Record em Sinop-MT, é acusada de cobrar para não divulgar chacina

O fazendeiro Agenor Vicente Pelissa, dono da Fazenda Promissão, onde teria acontecido uma chacina que culminou na morte de seis pessoas, em 18 de abril de 2020, declarou à Polícia Civil que foi coagido por dois funcionários da antiga administração da TV Real, afiliada da TV Record em Sinop, que teriam lhe avisado, em tom ameaçador, que dispunham de muitos materiais para o caso e que o valor para que o caso não fosse mostrado era de R$ 500 mil.

A suposta coação teria ocorrido na gestão anterior da emissora que foi vendida ao grupo empresarial do advogado Marcos Levi Bervig, no final do mês de abril deste ano.

As declarações foram feitas por Agenor, em termo de depoimento à Polícia, ao qual o Isso É Notícia teve acesso, no inquérito que apura as mortes.

Segundo Agenor, depois de ser abordado por um funcionário que se identificou como repórter, ele pediu que entrasse em contato com seu advogado, Adriano Bulhões, que atua em Sinop, que passou a ser o mediador e entrou em contato com um representante da TV - cujo nome não foi citado no depoimento.

Foi aí que o advogado comunicou ao fazendeiro que a emissora havia cobrado o valor de R$ 500 mil para que o caso não fosse mostrado.

O fazendeiro, então, afirmou ao advogado que não dispunha desse valor e pediu que ele conseguisse um desconto.

Foi aí que o valor acordado a ser pago foi de R$ 100 mil, segundo o fazendeiro.

Agenor, então, teria pedido à emissora que o pagamento fosse feito por meio de nota fiscal, pois não dispunha de dinheiro fora da sua contabilidade empresarial.

A TV, então, teria oferecido propagandas em "horários pouco procurados" para sua empresa Agropel Sementes, no valor de R$ 100 mil.

O fazendeiro declarou à Polícia que não "teve opção" e que não tinha o menor interesse em realizar a veiculação e que só a fez em razão da coação da emissora que ameaçou divulgar o caso.

O empresário contou à Polícia que do valor fechado, repassou duas ou três parcelas de R$ 20 mil, e que as outras ainda estão em aberto.

Outro lado

A reportagem tentou reiteradas vezes entrar em contato com a TV Real de Sinop. No entanto, o telefone da emissora aparentemente está com problemas, pois a recepcionista não conseguia ouvir nada e a ligação teve que ser encerrada.

O portal continua aberto, caso a emissora queira de manifestar.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.