Sábado, 23 de Outubro de 2021
32°

Alguma nebulosidade

Cuiabá - MT

ECONOMIA PEDIDO A ANEEL

Empresa administrada por filho do governador quer operar termoelétrica sem licença em MT

Fênix Complexo Industrial fez pedido a Aneel e cita necessidade de geração adicional no sistema elétrico brasileiro

08/07/2021 às 18h47 Atualizada em 09/07/2021 às 12h00
Por: Alexandre Aprá
Compartilhe:
Fênix é presidida pelo ex-deputado Fabio Garcia (DEM) e tem filho de Mauro Mendes no Conselho de Administração
Fênix é presidida pelo ex-deputado Fabio Garcia (DEM) e tem filho de Mauro Mendes no Conselho de Administração

A Fênix Complexo Industrial, empresa presidida pelo presidente do Democratas-MT, o ex-deputado federal Fabio Garcia, pediu à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que autorize o funcionamento de uma usina termoelétrica em Alto Araguaia sem que a empresa disponha de licença ambiental para operação.

Um dos membros do conselho de administração da Fênix é Luis Antonio Taveira Mendes, filho do governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), conforme revelou série de reportagens do Isso É Notícia publicadas no ano passado.

LEIA MAIS SOBRE ISSO: O negócio de R$ 32 milhões que une Fabio Garcia, Mauro Mendes e Mauro Carvalho

O pedido foi feito por meio de ofício datado de 14 de junho passado dirigido ao superintendente de Concessões e Autorizações de Geração da Aneel, Carlos Eduardo Cabral Carvalho. (veja íntegra do ofício ao final da reportagem)

A empresa foi adquirida, em um leilão judicial realizada pela Justiça de São Paulo, da massa falida da Agrenco, uma ex-gigante do agronegócio, pelo empresário Eloi Marchetti, que é o sócio majoritário.

A Fênix quer operar com 32,5 MW de potência instalada, utilizando como combustível principal cavaco de eucalipto.

No documento, assinado por Fábio Garcia, a Fênix alega que as licenças de operação emitidas para a falida Agrenco já caducaram e que a nova administração aguarda a liberação da licença ambiental e de operação.

A empresa relatou a Aneel que espera que, até a primeira quinzena deste mês, as licença já devam estar emitidas a Fênix.

"Em sendo um empreendimento já implantado e que já operou no passado, a Fênix foi obrigada a solicitar ao órgão ambiental a emissão diretamente da renovação da Licença de Operação e não a emissão da Licença de Instalação, conforme protocolo em Anexo. Este processo está em estágio muito avançado de análise e estimamos que até a primeira quinzena de julho, a Licença de Operação estará emitida"

Empresa cita necessidade de geração adicional no sistema elétrico brasileiro

Para justificar o pedido, a empresa alega a necessidade de geração adicional ao sistema elétrica brasileiro.

"Esta excepcionalidade justifica-se ainda mais nesta oportunidade por acelerar a entrada em operação comercial do empreendimento em um momento de necessidade crítica de geração adicional no sistema elétrico brasileiro"

Confira o ofício enviado pela Fênix Complexo Industrial à Aneel:

Fênix pede a Aneel para operar termoelétrica sem licença de operação em MT by Alexandre Aprá on Scribd

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.