Segunda, 02 de Agosto de 2021 03:05
65 98157-3554
POLÍTICA NOTÍCIAS DISTORCIDAS

CPI acusa deputado de espalhar fake news na pandemia

Medeiros é vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara de Deputados e com frequência utiliza as redes sociais para sair em defesa do presidente

21/07/2021 18h22 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação 3 Fonte: GAZETA DIGITAL
CPI acusa deputado de espalhar fake news na pandemia

Membro da bancada federal de Mato Grosso, o deputado federal José Meideros (Podemos) é um dos 26 políticos acusados de espalhar Fake News durante a pandemia do novo coronavírus. O nome do parlamentar está registrado em documentos da CPI da Covid do Senado Federal, em Brasília.

De acordo com os relatórios obtidos pelo portal Congresso em Foco, Medeiros compartilhou notícias falsas em duas situações. A primeira ao defender o uso de medicamento sem eficácia comprovada contra o novo coronavírus. Em outro momento, o deputado também teria publicado um vídeo editado que retirava a frase “E daí?”, dita pelo presidente Jair Bolsonaro quando a reagia a marca trágica de 5 mil mortes no Brasil.

Medeiros é vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara de Deputados e com frequência utiliza as redes sociais para sair em defesa do presidente. A lista de políticos que estariam espalhando fake news é composta majoritariamente de parlamentares que apoiam o chefe da república, ministros e até membros da oposição ao governo Federal, como as deputadas federais Gleisi Hoffmann (PT-PR), Erika Kokay (PT-DF) e Sâmia Bomfim (PSOL-SP).

Além da relação de políticos, a CPI da Covid investiga a origem de 68 perfis na internet, com milhares de seguidores, que espalharam, por exemplo, notícias amedrontadoras sobre vacinas e outras informações que não são verdadeiras.

De acordo com o relator da CPI, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) o objetivo é verificar suas responsabilidades na disseminação de ideias falsas ou distorcidas sobre a pandemia. Como pessoas públicas, com credibilidade junto à parte da sociedade, as opiniões desses políticos acabem tendo forte importância na formação de conceitos que podem ter dificultado o combate à doença no país.

"Fake News foram usadas como arma letal do negacionismo. Já temos provas que a campanha bolsonarista pela desinformação se aliou ao vírus. A CPI avançará nas investigações e responsabilizará os culpados", escreveu Renan por meio do Twitter.

Outro lado
Ao Gazeta Digital, Medeiros rebateu afirmando de forma sucinta que a lista é uma fake news de Renan e do senador Osmar Assis, que  preside a CPI. "Uma lista de nomes expedida por Renan e Omar Assis não passa de um fake news", disse.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.