Sábado, 23 de Outubro de 2021
31°

Alguma nebulosidade

Cuiabá - MT

OPINIÃO ENOCK CAVALCANTI

Grampolândia pantaneira

Criminalista Diogo Botelho ataca MP-MT, diz que acusações apresentadas são genéricas e pede arquivamento de ação por improbidade administrativa movida contra Zaqueu Barbosa, ex-comandante geral da PM no Estado

11/08/2021 às 09h05 Atualizada em 11/08/2021 às 09h11
Por: Redação 2 Fonte: ENOCK CAVALCANTI
Compartilhe:
Diogo Botelho, advogado e Zaqueu Barbosa, ex-comandante da PM MT
Diogo Botelho, advogado e Zaqueu Barbosa, ex-comandante da PM MT

O ex-comandante da Polícia Militar, coronel Zaqueu Barbosa, através do seu defensor, o advogado criminalista Diogo Botelho, entrou com uma ação para julgar improcedente a sua suposta participação na criação daquele que seria um escritório irregular de interceptações telefônicas, no episódio que abalou a administração do então governador Zé Pedro Taques e ficou conhecido como Grampolândia Pantaneira.

Diogo Botelho ataca as razões que motivaram o Ministério Público de Mato Grosso (MPE) a mais uma vez investir contra o ex- comandante geral da PM-MT e garante que, em todo o seu arrazoado acusatório, os promotores não conseguiram deixar claro quais seriam as irregularidades cometidas por Zaquel Barbosa no caso, limitando-se a apresentar apenas a síntese do apurado nos autos de ação penal militar em 2017.

Faltou “demonstrar de forma concreta e delineada quais atos supostamente ímprobos cometeu o Defendente na condição de Oficial da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso no cenário daquilo que a imprensa qualificou como grampolândia pantaneira”, diz o criminalista Diogo Botelho em sua argumentação.

Dessa forma, com um texto que o criminalista considera genérico, o Ministério Público, de acordo com Botelho, dificulta o exercício do contraditório e da ampla defesa, “direitos fundamentais que não podem ser demitidos por ações baseadas em enredos que não delimitam condutas e não demonstram quais foram os atos”, entendendo que “os fatos já apurados na Ação Penal Militar e que estão em grau recursal, eis que condenado o Defendente, não podem ser novamente rediscutidos e, inclusive, punidos na esfera cível”.

No destaque, você poder ler o inteiro teor da arrazoado apresentado pelo criminalista Diogo Botelho em defesa do coronel Zaqueu Barbosa

Advogado Diogo Botelho Pede Arquivamento De Ação De Improbidade Como Zaqueu Barbosa, Ex Comandante Geral da PM MT.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.