Terça, 30 de Novembro de 2021
27°

Muitas nuvens

Cuiabá - MT

COTIDIANO FAKE NEWS

Carta aberta de médicos pedindo demissão em massa é desmentida pela Empresa Cuiabana

A Secretaria Municipal de Saúde e a Empresa Cuiabana de Saúde Pública informaram que desconhecem o pedido de demissão de médicos terceirizados que supostamente teria sido divulgada através de carta aberta sem assinatura

26/10/2021 às 17h12 Atualizada em 27/10/2021 às 09h13
Por: Redação 3 Fonte: ÚNICA NEWS
Compartilhe:
Carta aberta de médicos pedindo demissão em massa é desmentida pela Empresa Cuiabana

A Empresa Cuiabana de Saúde Pública afirmou nesta terça-feira (26) que é falsa a carta aberta, não assinada, atribuída a médicos de Cuiabá que estariam supostamente com “profunda indignação e revolta com o descaso demonstrado pelas empresas que prestam serviços médicos nas unidades públicas de saúde da Capital, administradas pelo Município e pela Empresa Cuiabana de Saúde Pública e terceirizadas à HIPERMED e empresas ligas a seu grupo”, conforme trecho inicial da carta "fake".

A Empresa Cuiabana ressaltou, em nota, que “não recebeu nenhuma notificação ou aviso de pedido de demissão desses profissionais”, e que “desconhece qualquer suposto pedido de demissão de médicos terceirizados por meio de carta aberta sem assinatura, ou seja, legalmente sem validade e que sequer foi entregue à direção clínica do hospital e/ou aos gestores da saúde municipal”.

NOTÍCIAS QUENTES - Acesse o grupo do Isso É Notícia no WhatsApp e tenha notícias em tempo real (CLIQUE AQUI)

No documento não oficial, datado do dia 22 de outubro e que não está assinado, os supostos médicos reclamam de “turnos dobrados em jornadas cansativas que também colocam em risco nossa própria saúde”. Além disso, apontam que seus direitos “não têm sido respeitados”.

No documento, eles dizem que eram obrigados a trabalhar em condições precárias e, muitas vezes, sem os materiais e medicamentos necessários para prestar um bom atendimento. Alegam que o atraso nos pagamentos dos médicos é uma característica recorrente no serviço público de saúde.

Por causa disso, eles dizem que não querem mais continuar prestando o serviço. "Comunicamos que não mais desejamos prestar serviços a essas empresas que não demonstram o mesmo compromisso com que executamos nosso trabalho com zelo e dedicação".

A Secretaria Municipal de Saúde e a Empresa Cuiabana de Saúde Pública informaram que desconhecem o pedido de demissão de médicos terceirizados que supostamente teria sido divulgada através de carta aberta sem assinatura, ou seja, legalmente sem validade e que sequer foi entregue aos gestores da saúde municipal.

Nota de esclarecimento da Empresa Cuiabana de Saúde:

Em relação aos médicos que prestam serviços à Hipermed Serviços Médicos nos leitos de UTI do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), a Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) informa que:
- Não recebeu nenhuma notificação ou aviso de pedido de demissão desses profissionais;
- Os plantões no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) estão sendo cumpridos normalmente pelos médicos;
- Desconhece qualquer suposto pedido de demissão de médicos terceirizados por meio de carta aberta sem assinatura, ou seja, legalmente sem validade e que sequer foi entregue à direção clínica do hospital e/ou aos gestores da saúde municipal.
- Os pagamentos à empresa terceirizada estão ocorrendo dentro dos prazos legais, sendo de responsabilidade da prestadora de serviço cumprir com as obrigações trabalhistas junto a seus contratados.

Nota da Secretaria de Saúde de Cuiabá

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) informam que desconhecem o pedido de demissão de médicos terceirizados que supostamente teria sido divulgada através de carta aberta sem assinatura, ou seja, legalmente sem validade e que sequer foi entregue aos gestores da saúde municipal.

A Hipermed repudiou o que classificou como "falta de compromisso" e garantiu que todos os médicos serão pagos.

Nota da Hipermed

Sobre a demissão dos médicos que atuam nas Unidades de Terapias Intensivas (UTIs) em Cuiabá, por falta de pagamento, o grupo Hipermed esclarece que 60% dos profissionais que prestam serviços ao Hospital São Benedito e Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) já tiveram os vencimentos de agosto pagos. Os 40% restantes vão receber no decorrer desta semana.

Os pagamentos de setembro vencem em 30 de outubro e serão feitos tão logo a Hipermed receba os repasses da Empresa Cuiabana de Saúde Publica, ligada à Prefeitura Municipal de Cuiabá. Portanto, não há atraso de cinco meses de salário como estão afirmando e, sim, de um mês.

Vale acrescentar que a empresa efetiva os pagamentos conforme recebe os repasses dos entes públicos, tendo em vista que a Hipermed faz o gerenciamento não só dos recursos humanos médicos, como da equipe multidisciplinar e insumos.

Nesse sentido, a população em geral pode conferir os repasses feitos para a Hipermed no Portal Transparência, que são de acesso público. Lá constam os pagamentos recebidos e efetivados.

É importante destacar que a Hipermed fazia os pagamentos com recursos próprios, mas com o acúmulo devido à morosidade dos repasses do ente público, baseado no cenário atual, em determinados contratos ocorreram alguns atrasos.

Ademais, o grupo reforça que continua atuando em Mato Grosso, inclusive com novos contratos, portanto, todos os profissionais de saúde que prestaram serviços podem ficar tranquilos que terão suas obrigações honradas tão logo sejam feitos os repasses.

Por fim, informamos ainda que houve dispensa de profissionais do Hospital São Benedito, em razão de um ofício da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES/MT) que notifica sobre a baixa da pandemia no estado, a partir do dia 10 de setembro de 2021.

Sendo assim, foram bloqueados 60 leitos no âmbito da regulação, bem como a suspensão do confinamento estadual (Portaria 249/2020), publicada no Diário Oficial do Estado (nº 27.800), que regulamentou o custeio mensal de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para atendimento exclusivo de pacientes Covid-19 em Mato Grosso.

Todos os médicos foram comunicados do desligamento, assim que a empresa foi notificada pela Empresa Cuiabana de Saúde Publica, tendo em vista que a própria Hipermed não teve uma prévia para o encerramento das atividades dos profissionais.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.