Domingo, 16 de Janeiro de 2022
33°

Nuvens esparsas

Cuiabá - MT

COTIDIANO MÉDICI

Alunos protestam contra rigidez de horário de escola

A atual gestão decidiu retirar a "tolerância" de 15 minutos e determinou que nenhum aluno poderia entrar na escola após as 7h, o que gerou revolta nos estudantes

26/11/2021 às 16h27 Atualizada em 27/11/2021 às 14h14
Por: Redação 2 Fonte: G1 MT
Compartilhe:
Alunos protestam contra rigidez de horário de escola

Cerca de 200 alunos realizaram uma manifestação na manhã desta quinta-feira (25), em frente a Escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá, contra a rigidez adotada pela direção quanto ao horário de entrada.

O horário era 7h15, devido à tolerância de 15 minutos que havia. Porém, a atual gestão decidiu que nenhum aluno poderia entrar na escola após as 7h, o que gerou revolta nos estudantes.

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informa que, por meio da Superintendência de Relacionamento Escolar e Direção Escolar, se mantém em constante diálogo com a comunidade.

A escola passa por uma transição porque a gestão, a partir do ano que vem, passará a ser compartilhada entre a Seduc e a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

NOTÍCIAS QUENTES -  Acesse o grupo do Isso É Notícia no Whatsapp e tenha notícias em tempo real (CLIQUE AQUI)

A vereadora Edna Sampaio (PT) esteve no local e disse que conseguiu fazer com que a direção flexibilizasse a questão do horário de entrada.

“Eles instituíram um horário de entrada extremamente rígido e os alunos que chegam após esse horário são advertidos. Esse horário é impossível de ser cumprido por muitos alunos que moram longe e que precisam pegar dois ônibus para chegar. Isso causa constrangimento, pressão, coação”, disse ela.

Ainda segundo a vereadora, a direção acionou a polícia para inibir a manifestação.

“Eu vi o vídeo de um aluno que foi levado pela polícia algemado a pedido da direção da escola, porque supostamente ele estava fazendo vandalismo. Segundo alguns estudantes, esse aluno havia sido expulso da escola e insistiu em permanecer dentro da unidade. Neste momento em que eu estava lá, a direção também chamou a polícia porque os alunos estavam fazendo manifestação”, disse.

A escola Presidente Médici tem mais de 1,3 mil alunos, do sétimo ano do ensino fundamental até o terceiro do ensino médio.

No quadro de funcionários são mais de 170 profissionais, entre contratados e concursados.

Nota da Seduc:

“A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informa que, por meio da Superintendência de Relacionamento Escolar e Direção Escolar, se mantém em constante diálogo com a comunidade. A entrada nas unidades escolares da rede estadual é às 7h, com tempo de tolerância de 15 minutos, e comunicação de atraso obrigatório às famílias.

A Seduc esclarece que, em relação ao processo de transição da escola para Escola Estadual Militar Presidente Médici, três audiências foram realizadas: com o Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar; com os profissionais da educação; e também com os demais integrantes da comunidade, pais e responsáveis, processo democrático amplamente apoiado pela maioria.

A Seduc destaca ainda que, durante essas audiências, prevaleceu o desejo da maioria pela transformação da unidade escolar em Escola Militar do Corpo de Bombeiros, principalmente, de pais e responsáveis.

A Seduc agradece a participação e se mantém à disposição para eventuais esclarecimentos.”

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.