Sábado, 29 de Janeiro de 2022
24°

Muitas nuvens

Cuiabá - MT

POLÍTICA PEGOU FOGO

VÍDEO: Bate-boca e confusão generalizada suspendem reunião sobre Conselho LGBT

Os ânimos entre militantes LGBT e ala evangélica ficaram exaltados. Parecer sobre a criação do Conselho será votado na próxima sessão

30/11/2021 às 08h10 Atualizada em 30/11/2021 às 17h00
Por: Redação 2 Fonte: REPÓRTER MT
Compartilhe:
A confusão aconteceu entre militantes do movimento LGBTQIA+ e ala evangélica na Assembleia Legislativa
A confusão aconteceu entre militantes do movimento LGBTQIA+ e ala evangélica na Assembleia Legislativa

Bate-boca e confusão na Assembleia Legislativa, entre militantes da comunidade LGBT e representantes da ala evangélica suspendeu a reunião da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Amparo à Criança, Adolescente e Idoso, na Assembleia Legislativa, na tarde de segunda-feira (29), durante a discussão do parecer sobre o projeto de lei (862/2021), que prevê a criação do Conselho Estadual LGBTQIA+.

Os ânimos se exaltaram quando o presidente da Comissão, deputado Sebastião Rezende (PSC), sabatinava o secretário-adjunto de Assistência Social do Estado, Kennedy Dias, sobre o projeto.

NOTÍCIAS QUENTES -  Acesse o grupo do Isso É Notícia no Whatsapp e tenha notícias em tempo real (CLIQUE AQUI)

Logo em seguida, a vereadora Edna Sampaio (PT) começou a discursar em defesa da criação do Conselho e foi interrompida com gritos de provocação política. A partir daí a discussão ficou generalizada e o presidente da Comissão, deputado Sebastião Rezende, teve que encerrar a reunião.

Um vídeo gravado pelos participantes mostra parte da confusão. Apesar de não ter sido votado, o parecer da comissão seria pela rejeição do projeto. Entretanto, o parecer será analisado em plenário na próxima sessão.

Após a confusão, a vereadora Edna conversou com a imprensa e disse que a reunião foi uma agressão ao povo cuiabano. E enfatizou que os deputados de Mato Grosso não podem escolher quem vão defender. 

“Não podemos continuar sendo o Estado recordista em assassinato dessa população e os deputados não podem escolher quem vão defender, todos sãos cidadãos. Deputados religiosos precisam entender que não estão aqui para fazer política a suas igrejas”, disse.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.