Sábado, 29 de Janeiro de 2022
24°

Muitas nuvens

Cuiabá - MT

POLÍTICA 14 A 10

Câmara arquiva pedido de investigação de Edna Sampaio contra EP

Sargento Vidal e Demilson Nogueira defenderam Comissão Processante contra Emanuel Pinheiro

30/11/2021 às 17h02 Atualizada em 01/12/2021 às 09h21
Por: Redação 2 Fonte: REDAÇÃO FOLHAMAX
Compartilhe:
Câmara arquiva pedido de investigação de Edna Sampaio contra EP

A Câmara de Cuiabá arquivou, há pouco, o segundo pedido de abertura de Comissão Processante contra o prefeito Emanuel Pinheiro. Este pedido foi proposto pela vereadora Edna Sampaio (PT), após ela presidir uma Comissão Especial que analisou mais de oito investigações contra a atual gestão. 

Ao final dos trabalhos, a Comissão Especial recomendou abertura de pedido de cassação de Emanuel.

Nesta votação, participou o professor Robson Ciréia, suplente da autora do requerimento. Ele foi favorável a investigação contra o gestor. “O que está claro é que há um jogo de manipulação do poder dando cargos e prefeito deve sim ser processado”, defendeu o suplente.

NOTÍCIAS QUENTES -  Acesse o grupo do Isso É Notícia no Whatsapp e tenha notícias em tempo real (CLIQUE AQUI)

A votação obteve 14 votos contrários e 10 favoráveis a abertura da Comissão Processante. Com isso, o requerimento foi arquivado.

Mais cedo, a Câmara havia arquivado por 16 a 10 um pedido do vereador Dilemário Alencar (Podemos) para investigar Emanuel.

Entre uma votação e outra, "mudaram de posição" os vereadores Sargento Vidal (PROS) e Demilson Nogueira (PP).

Ao todo, desde o afastamento do prefeito em 19 de outubro, os vereadores já analisaram cinco pedidos de Comissão Processante contra Emanuel. Todos eles foram arquivados.

AFASTAMENTO E RETORNO

Emanuel Pinheiro foi afastado em 19 de outubro, durante a Operação Capistrum, do Ministério Público Estadual, que investiga a suspeita de ilegalidades em contratações temporárias na Secretaria Municipal de Saúde, bem como no pagamento do prêmio-saúde. 

Ele retornou ao cargo na última sexta-feira por decisão do desembargador Luiz Ferreira da Silva. Ele não vislumbrou mais nenhuma possibilidade do prefeito interferir nas investigações, já que a denúncia foi oferecida pelo Ministério Público Estadual.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.