Sábado, 29 de Janeiro de 2022
24°

Muitas nuvens

Cuiabá - MT

POLÍTICA R$ 8 MILHÕES

Sérgio Ricardo será interrogado sobre suposta compra de cadeira no Tribunal

O juiz marcou audiência e também aceitou servidor como testemunha

04/12/2021 às 12h56
Por: Redação 3 Fonte: VG NOTÍCIAS
Compartilhe:
Sérgio Ricardo será interrogado sobre suposta compra de cadeira no Tribunal

O juiz da Vara Especializada em Ações Coletivas, Bruno D’Oliveira Marques, marcou para fevereiro de 2022 o interrogatório do conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Sérgio Ricardo, acusado de ter comprado a “cadeira” do conselheiro aposentado Alencar Soares Filho, ao preço inicial de R$ 8 milhões.

A audiência será virtual, no dia 07 de fevereiro, as 14 horas. Na ocasião, o magistrado também irá ouvir testemunhas e os delatores Silval da Cunha Barbosa e José Geraldo Riva.

Em despacho proferido no último dia 02, o magistrado também aceitou o pedido do Ministério Público de Mato Grosso para incluir o servidor público Luiz Márcio Bastos Pommot, ex-secretário-geral da Assembleia Legislativa, como testemunha. Pommot é a “aposta” do Ministério Público para esclarecer em quais circunstancias ocorreram o início da compra de vaga no Tribunal de Constas do Estado, que teria supostamente beneficiado o conselheiro Sérgio Ricardo.

NOTÍCIAS QUENTES - Acesse o grupo do Isso É Notícia no WhatsApp e tenha notícias em tempo real (CLIQUE AQUI)

“Ainda que a fase de produção da prova testemunhal já tenha sido encerrada no presente feito e não obstante as considerações do requerido Sérgio Ricardo de Almeida na petição de Id. nº 71356517, DEFIRO o pedido de oitiva da pessoa de Luiz Márcio Bastos Pommot como testemunha do Juízo (Id. nº 69526291), o que faço com fulcro no art. 461, inciso I, do Código de Processo Civil, por se tratar de testemunha referida nas declarações do delator, que é parte neste processo. Além disso, anoto que a disposição normativa contida no art. 139, inciso VI, do mesmo Diploma Processual dispõe que é facultado ao juiz dilatar os prazos processuais e alterar a ordem de produção dos meios de provas, adequando-os às necessidades do conflito, o que faço no presente caso, em busca da verdade real” diz despacho.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.