Segunda, 27 de Junho de 2022
15°

Alguma nebulosidade

Cuiabá - MT

OPINIÃO GONÇALO ANTUNES

Felicidade pós liberdade

Ser livre passa a ter significado parecido com a felicidade, tamanha importância

17/06/2022 às 07h40
Por: Readação 2 Fonte: GONÇALO ANTUNES DE BARROS
Compartilhe:
Felicidade pós liberdade

Uma das principais características da pessoa é a busca pela liberdade. Ser livre passa a ter significado parecido com a felicidade, tamanha a importância do conceito para a percepção.           

Um de seus maiores teóricos, Leibniz afirma a existência de três condições para a ação livre: inteligência, espontaneidade e contingência. Rawls as expressa de modo mais completo, destacamento que a inteligência é um conhecimento claro do objeto de deliberação; a espontaneidade, o meio pelo qual nós mesmos determinamos a ação realizada, e a contingência como a ausência de necessidade lógica ou metafísica, valendo afirmar, a liberdade é impossível se há apenas uma opção (História da Filosofia Moral).         

Ser livre passa, então, pelo agir livre, com liberdade considerando a inteligência, espontaneidade e contingência. Se se aprofundar somente em uma delas, como a espontaneidade, por exemplo, já teremos uma boa sensação da dificuldade do caminho traçado em busca da própria felicidade, pois, liberdade se traduz em felicidade, sendo a primeira condicionante da segunda.          

A condição humana (diferentemente da natureza humana, se é que se possa considerar a sua existência) tem como um de seus atributos de realização plena a liberdade.

O homem nasceu para a liberdade, o que levou Sartre a considerar que está condenado a ela, dado o processo de formação e existência de cada qual. Se condena nas ações justamente por ser livre e, em sendo livre, poderia ter optado por caminhos outros, melhores, a cada deliberação inteligente, espontânea e contingente.         

Não seria livre, portanto, quem delibera sem conhecer a extensão e profundidade das consequências ao lidar com determinado objeto ou situação, adoçando suas preferências cognitivas com o costume, tradição, valores ou mesmo pela moral comum. Vale ressaltar, não seria livre quem não se dá o direito de renunciar aos próprios preconceitos (“pré”, anterior, conceitos).          

Também, não será livre quem não for a causa motora e determinante das próprias atitudes. O “vai com os outros”, aqui, não serve nem como pedaço de lixo. Ser espontâneo exige convicção independente, diria até simplória frente às ações e caminhos do senso comum, negando-os por ingenuidade.          

NOTÍCIAS QUENTES - Acesse o grupo do Isso É Notícia no WhatsApp e tenha notícias em tempo real (CLIQUE AQUI)

Livre, ainda, será quem não busca amparo no materialmente inexistente, naquilo que não possa ser alcançado pela sensibilidade, apalpado, escutado ou mesmo visto. Livre é aquele de “pé no chão”, sem rodeios e devaneios, ou seja, sem muletas ilusórias a ampará-lo nas inquietações e tomada de decisões.          

Liberdade, assim, vem acompanhada por felicidade já que é uma condição humana, é essência e não aparência, é fruto do que é e não do que deveria ser. Afugentar a si diante dos outros é perdê-la, escamoteá-la, depositá-la nas mãos de terceiros.          

A falta dessa consciência reflexiva gera mais angústia (negativa, sem a capacidade transformadora) e tristeza, desaguando em ansiedade e depressão. Aquele botão do “que se dane”, aparentemente invasivo, mal-educado, talvez seja o melhor dos remédios a muitos. O armar-se diante da percepção de aceitação social é eficaz, penso, contra a malvadeza e cinismo dos olhares preconceituosos.        

Na poesia musical de Chico Buarque: ... Prefiro então partir/ A tempo de poder/ A gente se desvencilhar da gente/ Depois de te perder/ Te encontro, com certeza/ Talvez num tempo da delicadeza/ Onde não diremos nada/ Nada aconteceu/ Apenas seguirei, como encantado/ Ao lado teu (Todo o Sentimento).

É por aí...

Gonçalo Antunes de Barros Neto é graduado e professor de Filosofia e magistrado. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.