Cuiabá, 20 de setembro de 2018

Isso é Notícia

MENU

R$ 220 MIL EM CHEQUES

Filha de deputado cristão vira ré por furto qualificado à escola em MT

Ednilson Aguiar/O Livre
Filha de deputado cristão vira ré por furto qualificado à escola em MT

Ester Galli, funcionária comissionada do Governo de MT, é filha do deputado federal Victório Galli (PSL)

ALEXANDRE APRÁ ALEXANDRE APRÁ

Jornalista, diretor do blog Isso É Notícia

A servidora comissionada do Governo de Mato Grosso, Ester do Nascimento Galli, filha do deputado federal Victório Galli (PSL), virou ré em uma ação penal movida pelo Ministério Público Estadual (MPE), onde é acusada de ser uma das beneficiárias de um furto à sede do Grupo Atame, que ocorreu em Cuiabá, em 2008.

Além dela, outras oito pessoas, também foram denunciadas na mesma ação. Além da filha do parlamentar, outra ré implicada na denúncia também é ex-funcionária da empresa.

A denúncia, apresentada pela promotora de Justiça Fânia Helena Oliveira de Amorim, em outubro do ano passado, requer a condenação de Ester pelos crimes de furto qualificado, crime continuado, estelionato e concurso material.

De acordo com o inquérito policial, a sede da Atame em Cuiabá foi invadida por bandidos que furtaram vários cheques que somariam um valor aproximado de R$ 220 mil. Os cheques eram o pagamento da mensalidade dos alunos matriculados na instituição.

A conclusão da Polícia Civil e do Ministério Público foi a de que as duas ex-funcionárias tiveram participação no furto à empresa. Ester ocupou o cargo de tesoureira da empresa.

Os outros envolvidos são os que, segundo a denúncia, realizaram o furto, in loco.

No último dia 7 de março, a juíza Silvana Ferrer Arruda, da 5ª Vara Criminal de Cuiabá, recebeu a denúncia contra todos os envolvidos, retirou o sigilo das investigações e os notificou para que apresentem defesa em 10 dias.

Também foram denunciados na mesma ação: Suely Gonçalves da Silva, Vanildo Nogueira, Eliani Aparecida de Oliveira, Julio Campos da Silva, Jean Carlos Ribeiro Barcelos Ferreira, Marcio Sales de Freitas, Augusto Cesar Ribeiro Macaúbas e Zaqueu Vieira da Rocha.

O Grupo Atame informou ao blog que seus advogados acompanham o processo, mas preferiu não comentar a denúncia. 

Assessora no Governo Taques

Em fevereiro de 2018, um mês antes de a Justiça acatar a denúncia, Ester Galli foi nomeada pelo governador Pedro Taques (PSDB) para atuar como servidora comissionada na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

De acordo com o Ato Nº 23.082/2018, ela foi nomeada como Assessora Especial II, Nível DGA-4, com salário de R$ 5 mil mensais.

Outro lado

A assessoria do deputado federal Victório Galli foi procurada pelo blog.

Por meio de nota, Ester Galli nega as acusações, cita Deus e Jesus Cristo e diz que contratou uma advogada para se defender.

A filha do deputado também informa, na nota, que vai processar todos aqueles que a citarem durante o processo eleitoral com o objetivo de atingir sua família e seu pai. "Deixem a minha família em paz", diz a filha do deputado.

Confira a íntegra da nota enviada por Ester Galli:

Venho por meio desta nota, dizer que jamais aceitarei qualquer tipo de acusação e calúnia envolvendo meu nome ou de minha família. Temos uma história de fé e temor a Deus, seguimos o caminho da retidão. Exercemos trabalhos lícitos, criamos nossos filhos com dignidade e nos caminhos do cristianismo.

Trabalhei há mais de 10 anos, durante 8 meses, numa determinada empresa na cidade de Cuiabá, exerci minha função com zelo e honestidade. A época, ocorreu um sinistro naquela empresa e todos os 10 funcionários, naquela ocasião, foram chamados em um processo e considerados suspeitos, embora eu considere a suspeita absurda e covarde.

Não há nenhum depoimento de suspeitos ou de envolvidos que tenham citado, em qualquer momento, o meu nome. Não há o menor sentido ou cabimento de me incluírem em tal situação. Tomei conhecimento deste processo pela boca de um jornalista e estive no fórum, mesmo sem ser intimada, e constituí uma defensora para cuidar do assunto.

Para tanto, embora o lento processo esteja há 10 anos consumindo recursos de nós brasileiros e tempo do Poder Judiciário, eu fiz questão de fazer a peça de defesa, no meu dever de cidadã. Pois, a partir de agora, eu sou a maior interessada em mostrar o tamanho da covardia ao envolver meu nome nisso. Após a conclusão e o devido arquivamento do processo, irei processar, por calúnia, todos que me citarem e usarem, deste fato, de forma sorrateira para afrontar minha família e atacar meu pai em pleno processo eleitoral.

Desejo toda a paz do Senhor Deus de Israel a todos. E peço, deixem minha família em paz.

Ester Galli

Leia matérias relacionadas:

Comente pelo Facebook!

Comente pelo site!

Olá, deixe seu comentário para Filha de deputado cristão vira ré por furto qualificado à escola em MT

Enviando Comentário Fechar :/